Logística de última milha

O que é a última milha na logística? Guia atualizado sobre a importância da last-mile

Em que consiste a logística de última milha? Entrega e distribuição, ou entrega de última milha (last-mile delivery), refere-se à última etapa da jornada de um produto na cadeia de suprimentos. Ela acontece já no final do percurso de uma encomenda, quando ela sai de um centro de distribuição e é levada à porta do cliente final. 

Esta parte do processo de entrega costuma ser a mais crítica de todas e precisa ser bem gerenciada para que o envio aconteça de forma rápida e eficiente. 

Nos últimos anos houve um aumento da demanda do consumidor, cada vez mais digital e exigente. Por esse motivo, as empresas tiveram que repensar o verdadeiro papel da última milha (last-mile) na logística e começaram a desenhar estratégias para realizar esse trecho de uma forma satisfatória. 

Desse modo, para fazer o correto cumprimento da rota de um produto até o consumidor na cadeia de suprimentos – seja para um indivíduo ou uma loja de varejo –, passou-se a focar em soluções para equilibrar a necessidade de agir com maior velocidade, gerenciar os recursos de forma inteligente e corrigir ineficiências no trajeto.  Um esforço válido e importante para agradar os clientes e ao mesmo tempo viabilizar a operação.

Curiosidade: Em alguns contextos, o termo última milha também é utilizado nas telecomunicações para se referir ao segmento final de fornecimento de serviço aos clientes, como a conexão de linhas telefônicas e cabos de acesso à internet.

Neste artigo, vamos nos ater ao significado de última milha ou last-mile para o transporte de mercadorias, considerando a fase final da operação logística .

A importância da última milha (last-mile) na logística

Como mencionamos anteriormente, a entrega de última milha, também conhecida como logística de última milha, é o transporte da mercadoria de um centro de distribuição até o destino final de uma determinada encomenda: a porta do cliente. Faz parte do desafio principal das empresas que trabalham no setor, realizar as entregas de forma mais barata, rápida e precisa possível.

Muitos varejistas, atualmente, se concentram na logística last-mile como forma de ter um diferencial importante. Quer um exemplo?  Basta ver como a Amazon Prime transformou o varejo on-line com suas práticas. 

Contudo, para fazer isso, há muitos desafios pela frente…

Os processos envolvendo a logística de entrega da última milha de um produto representa, na média, mais de 53% dos custos totais de um envio. Considerando esse cenário, se o processo não for otimizado, as ineficiências somadas podem levar a gastos excessivos, aumentando as despesas e, consequentemente, reduzindo os lucros do negócio.

Em suma, hoje a logística de última milha pode ser considerada um dos principais pontos de contato entre um cliente e uma marca, de modo que fortalecer a eficiência da last-mile é um ponto crucial para  dessa ligação.

A partir dessa conexão com a empresa, dependendo da forma como uma determinada entrega é realizada e se a experiência foi positiva, o consumidor vai continuar se sentindo seguro para realizar compras e a indicar aquele estabelecimento para outras pessoas. Neste processo, conquistar esses usuários é fundamental para toda a operação e afeta aspectos como credibilidade e lucratividade do negócio. 

Principais etapas do processo de última milha (last-mile)

O processo de entrega da última milha pode ser dividido em cinco etapas descritas a seguir:

Passo 1

Os pedidos são inseridos digitalmente em um sistema centralizado. Esta é a etapa de last-mile em que pedidos e solicitações são monitorados tanto pelo remetente quanto pelo destinatário final, que provavelmente acompanha o status de sua entrega por meio de um número de rastreamento.

Passo 2

Os pedidos chegam ao centro de transporte e aguardam a saída para a entrega ao destinatário final. É aqui que o processo de entrega last-mile realmente começa: as empresas precisam realizar os processos necessários de forma otimizada para que o pedido saia do centro de transporte e chegue ao cliente o mais rápido possível.

Passo 3

Os pedidos são atribuídos à equipe de entrega com base nas rotas e endereços dos destinatários. Classificar e alocar estrategicamente os pacotes de entrega dentro dos veículos, considerando seu volume e região a que serão levados, é essencial para ter uma solução de logística de entrega last-mile otimizada e econômica.

Passo 4 

Os pedidos são escaneados antes de serem carregados nos veículos de entrega. A digitalização dos produtos tem por finalidade atualizar o status do pedido para o remetente, bem como permitir o rastreamento da remessa para o destinatário final. Além disso, essa etapa reduz o risco de mercadorias embaladas se perderem no caminho.

Passo 5

As encomendas chegam com sucesso aos destinatários finais e é emitido um comprovante de entrega. Com o pacote já em seu destino final, a equipe responsável pelo frete precisará atualizar no sistema as informações de rastreamento para que seja possível confirmar que a entrega foi concluída com sucesso.

Qual é o problema com as entregas de última milha (last-mile)?

No gerenciamento da cadeia de suprimentos, a última milha acaba sendo mais difícil no transporte das encomendas que vão dos centros de distribuição ou armazéns até seus destinos finais. Alguns dos problemas com a last-mile incluem minimizar custos, garantir transparência, aumentar a eficiência e melhorar a infraestrutura, o que tende a torná-la a mais cara de todas as etapas do processo.

Desafios da última milha na logística

Não há dúvidas de que um processo de entrega de última milha eficiente é essencial para manter os clientes satisfeitos e conquistar sua confiança.

 E atender ao desejo de um frete rápido para melhorar sua experiência é justamente a etapa mais cara e complexa do processo de envio – e em um mercado tão competitivo, em que os mesmos produtos podem ser encontrados facilmente em outros lugares – as empresas não podem se dar ao luxo de serem fonte de uma frustração para o consumidor. 

Isso significa que as empresas se veem obrigadas a arcar com essa despesa, considerando todas as variáveis que podem estar associadas à last-mile

Para se ter uma ideia, o envio e o rastreamento da última milha podem representar 53% dos custos totais de um envio. Normalmente, as empresas consomem cerca de 25% desse custo, mas esse número aumenta à medida que os processos que ainda são ineficientes ou não estão bem alinhados dentro da cadeia de suprimentos se tornam mais onerosos.

Então, qual é o verdadeiro desafio para as empresas nesta etapa da última milha?

Uma das medidas principais para vencer esse desafio é realizar a otimização em todo o processo de entrega de última milha. Essa importante mudança pode resultar em economias significativas para empresas de e-commerce e varejistas.

Com os números de remessas aumentando, como vem acontecendo nos últimos anos, contar com uma logística mais ágil, automatizada e organizada, é essencial para ter uma operação robusta e com melhor custo-benefício. 

Que tipo de empresas são impactadas pela última milha?

Por definição, a entrega de última milha é mais relevante para empresas que entregam produtos diretamente aos seus consumidores ou para prestadores de serviço especializados neste segmento.

Confira alguns exemplos de negócios que precisam desse tipo de serviço de entrega:

      • Comércio eletrônico
      • Correios
      • Empresa terceirizada de logística.
      • Empresas de varejo modelo direto ao consumidor.
      • Empresas do ramo alimentício
      • Supermercados 
      • Lojas de departamento 
      • Floriculturas
      • Restaurantes 
      • Farmácias

Além disso, mesmo que uma empresa colabore com atacadistas ou varejistas na cadeia de suprimentos de um produto, ela pode também ter um site com uma loja de comércio eletrônico. Isso significa que você ainda precisa lidar com o envio, incluindo a last-mile delivery, para pedidos que chegam por essa via. 

Como a otimização de rotas ajuda a resolver o problema da last-mile?

Você não precisa investir em robôs de entrega, tecnologia cara, empresas de logística terceirizadas ou copiar programas eficazes como o Amazon Prime para resolver problemas de atendimento de última milha.

A otimização de rotas pode ser feita por um software inteligente, capaz de gerenciar todos os aspetos da entrega de última milha. Isso permite ter eficiência na gestão da frota, aumentando a capacidade de entrega e minimizando possíveis falhas, transformando a logística da last-mile, fazendo com que deixe de ser um problema para tornar-se um ativo de negócios.

Como funciona a otimização de rotas na entrega de última milha (last-mile)?

 A otimização de rotas é o processo de encontrar o caminho mais curto e  eficiente para lidar com uma lista de entregas na last-mile. Como as rotas de um motorista normalmente envolvem muito mais do que dois pontos, encontrar a melhor delas exige bastante atenção aos detalhes.

Pela mesma razão, o software de otimização de rotas ajuda as empresas a considerarem todas as variáveis ​​e assim executarem um planejamento e cronograma de entregas aos seus clientes de forma mais precisa.  Além disso, garante que o produto seja entregue o mais rapidamente e com o menor custo possível.

Entenda como um software de otimização de rotas ajuda a resolver problemas de entrega de última milha.

  • Rastreamento de pedidos em tempo real e notificações ao cliente.
  • Planejamento de rotas que considera janelas de tempo e outras restrições.
  • Aplicativo móvel para garantir rastreamento ao vivo e menos entregas com falha.
  • Mudança de rota e programação muito mais rápida na marca.
  • Controle das operações de entrega.
  • Comprovante de entrega para maior transparência e eficiência.
  • Comparar com precisão os KPIs.
  • Foco maior na experiência do cliente.

 

QUER SABER MAIS SOBRE A ÚLTIMA MILHA (LAST-MILE)?

Content Specialist

Write A Comment