Tendências

E-commerce na era da transformação digital

Em um mundo em que se escuta cada vez mais termos como e-commerce, dark-stores, q-commerce, last-mile delivery, entregas rápidas, algumas empresas ainda acreditam que a transformação digital é apenas colocar no computador aquilo que antes estava no papel, porém, o conceito de comércio eletrônico vai muito além disso.

Na verdade, trata-se de um novo modo de pensar, de operar e de se relacionar diante de um espaço cada vez mais tecnológico e que disponibiliza novas ferramentas de trabalho e de comunicação, que melhoram a vida das pessoas e tornam os processos mais eficientes. 

Desse modo, a verdadeira transformação digital acontece quando o uso das tecnologias, considerando a velocidade em que elas acontecem e o benefício que trazem, é diretamente incorporado ao negócio, de forma cultural, estrutural e na prática das operações diárias. 

É um modelo de pensar e agir que tem flexibilidade para adaptar-se a mudanças constantes, que testa novas soluções e busca caminhos para inovar e desenvolver novas ferramentas a partir da experiência da própria empresa, dos seus colaboradores e de seus clientes, mas ao mesmo tempo está sempre um passo adiante buscando prever para onde o mercado vai se movimentar.  

e-commerce transformação digital
Imagem: Freepik

O que é e-commerce e como se beneficia com a transformação digital? 

E-commerce (em português comércio eletrônico) é um sistema de transações comerciais, que possibilita compras e vendas on-line através de uma plataforma digital, seja utilizando smartphones, tablets, computadores ou similares. Diferente do varejo tradicional, em que o consumidor vai até uma loja pessoalmente, escolhe um produto e o leva para casa. 

Com a transformação digital, impulsionada pela pandemia de Covid-19, o e-commerce tem crescido, ganhado espaço e se tornado um importante canal de vendas. De um lado, o e-commerce faz parte da estratégia omnicanal de já conhecidos varejistas fortes no mercado, que querem potencializar sua visibilidade e acesso a diferentes tipos de consumidores. Por outro, também estão sendo utilizados cada vez mais por novos empreendedores que já nasceram digitais. 

Você sabia? 

O e-commerce surgiu pela primeira vez nos Estados Unidos, por volta dos anos 1970. Com o desenvolvimento da internet e a melhoria de funcionalidades que permitia mais flexibilidade, a inserção de fotos e textos, esse tipo de plataforma começou a se tornar cada vez mais comum. No Brasil, o primeiro registro de comércio eletrônico se deu em 1996, sendo que grandes marcas como Submarino passaram a atuar efetivamente em 1999. 

Qual a diferença entre e-commerce, loja virtual e marketplace?

Muitas pessoas ainda confundem esses conceitos, que estão conectados entre si, mas significam coisas diferentes. Uma loja virtual, por exemplo, não é sinônimo de e-commerce, bem como, analogamente, uma loja física não seria o mesmo que comércio. 

A loja virtual é o espaço on-line onde os itens (ou serviços) são ofertados para venda, enquanto o comércio eletrônico é não apenas o conceito de tenda on-line, mas se expande a todas as atividades que estão envolvidas para que esta compra e venda de produtos possa acontecer da melhor maneira naquele local.

Ou seja, o conceito de e-commerce inclui direcionamento de equipe de atendimento, organização dos produtos, separação de acordo com a categoria a que cada item pertence, organização visual, estabelecimento de meios de pagamento, faturamento, bem como a logística para fazer chegar os produtos aos clientes que os adquiriram. 

Mas e como fica Marketplace? Este é um tipo de shopping center on-line que abriga em uma única plataforma produtos de diversas lojas e marcas. Diferentemente de uma loja virtual, em que você precisa gerenciar um site próprio.

Em um Marketplace você deixa a administração de sua venda a cargo desse centro responsável. Alguns exemplos são Amazon, Magazine Luiza, Lojas Americanas, entre outros.

Durante os anos de epidemia de coronavírus, grandes Marketplaces abriram suas portas virtuais para mais usuários como forma de ajudar mais pessoas a exporem seus produtos e terem mais chances de vender mesmo em um momento de crise, o que acabou também expandindo e visibilizando mais suas plataformas. 

O Marketplace tornou-se uma vantagem também para quem não queria abrir seu próprio negócio virtual, mas quer aproveitar a vitrine de um espaço já bem estabelecido, bem como toda a estrutura que esse tipo de plataforma oferece para o  gerenciamento das transações de compra e venda. 

 Como o e-commerce e a transformação digital impactaram a  logística?

De acordo com a pesquisa Shopping During The Pandemic, que foi realizada pela  Ipsos  em 28 países, foi revelado que “47% dos brasileiros têm feito mais compras on-line do que faziam antes da pandemia de Covid-19. No mundo todo, são 43%.” 

Neste contexto,  a cada ano que passa, o modelo de  e-commerce vem crescendo e exigindo soluções mais ágeis de toda a cadeia de suprimentos. 

Por sua vez, a transformação digital tornou-se uma realidade e as empresas passaram a olhar com mais atenção para a logística, especialmente nos últimos dois anos. O uso de dados e soluções tecnológicas analíticas passou a ser parte dos recursos utilizados para melhorar e otimizar os processos de supply chain. 

Além  disso, a proposta de comprar tudo o que você precisa a apenas um clique de distância, tornou a necessidade de realizar entregas muito mais rápidas.

Hoje em dia, já não é possível para uma empresa profissional desprezar a tecnologia, de modo que esta passou a ser menos um diferencial e mais um requisito para quem quer avançar no mercado. 

Reduzir os prazos de entrega de seus produtos ou serviços é e será um fator chave de diferenciação no mercado e, sem dúvida, deve ser um dos objetivos mais claros dentro do processo de planejamento de uma operação em tempos modernos.

De que maneira a tecnologia pode melhorar a logística do meu e-commerce?

Pensar diferente é também considerar que a melhor tecnologia deve estar presente até o momento da  da entrega, já que nesta etapa que seu e-commerce cumpre a missão de fazer com que o pedido chegue efetivamente em segurança às mãos do cliente.

 Com um  TMS SaaS (Transportation Management System), uma solução tecnológica, em nuvem, seu e-commerce garante o melhor aproveitamento e otimização de sua operação, com melhor custo benefício na last-mile.

Usando uma estratégia mais eficiente, você economiza e seu cliente fica satisfeito, lembrando de você quando precisar novamente realizar uma compra com confiança! 

 

Confira alguns benefícios de um TMS SaaS:

  • Otimiza o planejamento de rotas, garantindo um melhor sistema de envio dos pedidos.
  • Melhor visibilidade dos veículos e das entregas.
  • Gerenciamento de entregas e  emissão de relatórios finais.
  • Permite organizar os veículos de forma inteligente, considerando volume dos pacotes, prazos, restrições de rotas e detalhes sobre horário e a região.

 

Isso significa que você pode diminuir os custos, além de ter uma visão global de todo o processo de entrega, acompanhar os veículos em tempo real, receber notificações em cada etapa!  Com isso seu e-commerce entrega qualidade, chega no prazo, agrada o cliente e está em sintonia com as novas tecnologias em logística.

 

Quer transformar a logística do seu e-commerce agora?

Drivin é uma solução tecnológica 4.0 que faz a diferença para seu negócio. Pense adiante e escolha nosso TMS SaaS.

Content Specialist