Cadeia de Suprimentos

Dark Stores tornam-se realidade para uma logística com entregas ágeis

A cada ano que passa, o modelo de  E-commerce (vendas on-line) vem crescendo e exigindo soluções mais ágeis de toda a cadeia de suprimentos. Neste contexto, surgiu o quick commerce ou simplesmente Q-commerce, um novo conceito que veio para tornar mais rápidas, eficientes e dinâmicas as entregas e atender a um cliente cada vez mais exigente e informado. Recentemente, passamos a ouvir o conceito de dark store. 

Desde o final de 2019 até aqui, essa tendência vem se intensificando e transformando os modelos operacionais para cada vez atender sob demanda com entrega no mesmo dia. A cadeia logística tem precisado se adaptar em todos os níveis para alinhar melhor cada etapa, evitar falhas e atrasos e tornar o processo de compra mais dinâmico – é por isso que o fenômeno das dark stores (lojas escuras) é cada vez mais presente nos centros urbanos.

O que é uma dark store? 

As lojas escuras são assim chamadas porque atendem apenas pedidos provenientes do on-line, em outras palavras, não acendem as luzes e nem abrem as portas para o comércio direto, como faria uma loja física convencional.

Refere-se a um estabelecimento de varejo ou centro de distribuição que atende exclusivamente a esse tipo de compra, ou seja, não é aberto ao público, embora geralmente estejam localizadas junto aos centros de comércio das grandes cidades para facilitar as entregas. 

Geralmente é um espaço de armazenamento, mas que pode ser usado também como um serviço de “clique e retire”, no qual o cliente pode coletar um produto que encomendou pela internet ou até abarcar uma plataforma de micro-atendimento para pedidos on-line. Mas nasceu mesmo para ser um hub de distribuição rápida.

Onde nasceu a dark store? 

Este formato teve seu início primeiramente no Reino Unido, e fez tanto sucesso que acabou conquistando a Europa, espalhando-se pela França, e tornando-se muito bem aceita também nos Estados Unidos.

No início, elas eram mais comuns nos setores de mercearia e alimentos integrais, mas agora estão se tornando cada vez mais prevalentes no varejo de grande porte, nas indústrias de utensílios domésticos e móveis e até na moda.

Como funciona uma dark store? 

É essencial para o sucesso de uma dark store estar localizada perto da base de seus clientes potenciais.  Assim, ela dá o suporte necessário para que as empresas atendam adequadamente os pedidos sob demanda, o que é muito importante para o público que consome via E-commerce

dark store
Imagem: Freepik

Sem contar que é comum encontrar dark stores que operem 24 horas por dia para atenderem à demanda on-line, já que o mundo virtual nunca fecha. Quem nunca aproveitou uma noite de insônia para dar uma espiada nas novidades da internet? 

De um lado, a estratégia omnichannel, tem tornado as lojas virtuais mais atrativas e interessantes, buscando dar ao consumidor uma experiência mais

dark store
Imagem: Freepik

próxima (ou até melhor) do que a que ele tem em uma loja física. De outro, a oportunidade de comprar em apenas um clique gera também a vontade de receber rapidamente aquele produto. 

Para atender a esse chamado do consumidor, as empresas precisam de soluções tecnológicas que sejam simples de serem gerenciadas e ao mesmo tempo atendam demandas complexas.

Quem já aderiu ao conceito de dark store? 

Quando se fala em e-commerce, um dos primeiros nomes que vêm na mente da maioria das pessoas é a gigante Amazon. Em 2020, a plataforma abriu a primeira dark store  permanente da Whole Foods Market, dedicada à venda de orgânicos, em Nova York (EUA). De acordo com uma matéria publicada pela Forbes, a loja escura conta com  longas prateleiras de produtos e refrigeradores de supermercado e não será aberta ao público e seus produtos serão coletados exclusivamente por serviços de entrega e entregadores. 

No Brasil, o modelo é terreno fértil para o crescimento de startups que apostam em centros de distribuições menores e próximos aos consumidores, evitando longos deslocamentos e contornando o trânsito das grandes cidades, que é um dos grandes desafios da logística de última milha (last-mile). 

Além disso, alguns varejistas já começaram a transformar lojas físicas, que esvaziaram com o contexto dos últimos anos, em dark stores, seja para realizar micro-atendimento ou apoiar quem fez ou gostaria de fazer pedidos virtuais, aproveitando assim o espaço já existente,  

As dark stores mostram que vieram para ficar e continuam a ser uma tendência para atender ao segmento de compras on-line e atendimento sob demanda que crescem cada vez mais no Brasil e no mundo.

Como um software inteligente é  essencial para uma dark store? 

Para o bom funcionamento, uma dark store precisa se preocupar em criar um layout em que seja simples visualizar os itens, além de organizado, de modo que seja possível realizar a retirada rápida de um produto para enviá-lo para o consumidor. dark stores

E não para por aí, para conquistar uma operação rápida e eficiente, é preciso contar com um software robusto, que ajude na organização das mercadorias nos veículos e no direcionamento das entregas.

Ou seja, um sistema com inteligência artificial capaz de otimizar e prever as melhores rotas, organizar os pedidos por endereços, aproveitar o conhecimento dos bairros e que seja personalizável de acordo com o negócio e pronto para atender um mercado que ainda tem muito espaço para crescer! 

Você está precisando de uma solução  logística sua dark store? Conheça o TMS SaaS Drivin com uma demonstração gratuita!

Content Specialist